sexta-feira, outubro 31, 2008

9ª Piruetas e mentiras - Bem perto da beirada da memória


Quem voa
voa se quiser voar.
Quem deixa
deixa se quiser deixar.
Você está tentando entender demais.
Já são duas da manhã.
As coisas vão e voltam....
Você precisa saber demais.
Eu continuo delirando...
E você procurando respostas.
Tá tudo tão limpinho agora.
É tudo feito de casca e asfalto.
E eu ando meio bêbado.
Eu ando jogando palavras sem rumo
No papel do tempo....
As coisas não tem volta.
Elas sempre continuam indo.
Não vou voar nem dizer nada.
Meu português é clarinho...
Quem perde perde o que tem.
Vai ser só eu conversando sozinho
Quando você resolver sair
E desistir de tudo.
Vai me proibir de ir na escola?
Vai me proibir de conversar com meus amigos?
Vai me mandar embora do espetáculo?
O espetáculo nunca acaba.
Cansados.
Eu não entendo nada.
Eu vou morrer sozinho.
Eu vou morrer cantando.
Eu sou tão magrinho.
Eu vou caber sim.
Câmbio.

Um comentário:

Serginho disse...

Cabe sim! E como Carlos, se a mão tá suja,corta a mão, não adianta lavar............ A água é suja.